Blog r2soffner


Voltar ao Blog

O futuro de sua educação e de seu emprego – parte 2


Retomando a discussão do artigo anterior, quero falar um pouco das previsões de Daniel Susskind (The future of the professions: how technology will transform the work of human experts. Oxford University Press, 2015) para o futuro das profissões. Ele tem pesquisado o tema há muito tempo, e é hoje um dos especialistas no assunto. Sua hipótese maior: as máquinas estão se tornando mais e mais capazes e, assim, tomarão dos humanos mais e mais tarefas que tradicionalmente foram nossas, e de forma exclusiva. Por isso a necessidade urgente (durante a década de 2020) de recapacitação de muitos profissionais, e mesmo a realocação, em muitos casos. No longo prazo (a partir de 2030), ele prevê uma queda incisiva na demanda por profissionais humanos. Recomenda, portanto, que se busquem carreiras que privilegiem as capacidades essencialmente humanas, que não possam ser substituídas por inteligência artificial (por exemplo, criatividade e competências interpessoais). E que se busquem, também, as carreiras de fato associadas à tecnologia, como o desenvolvimento e implementação de novos sistemas (engenharia de sistemas e do conhecimento, computação avançada, entre outras). Se o seu inimigo é uma máquina, seja um criador de máquinas! Um alerta: nossa educação tradicional ainda prepara para as profissões que serão ameaçadas pela inteligência artificial.


A inteligência artificial e a superinteligência

Alguns anos atrás ninguém levaria muito a sério a afirmação de que a inteligência artificial afetaria nossas vidas a curto prazo. Parecia ainda coisa de ficção científica. Mas os desenvolvimentos em robótica, aprendizagem de máquina, algoritmos genéticos, redes neurais e ciência de dados alteraram esse cenário. Para Kevin Kelly, a primeira Revolução Industrial nos trouxe a força artificial, quando as máquinas passaram a fazer o nosso trabalho muscular mais pesado. Agora, numa segunda Revolução Industrial, a inteligência artificial – no formato de uma máquina “inteligente”, automatizará muitas de nossas atividades cotidianas. Daí a preocupação com empregos e trabalho. Kelly sugere que as máquinas devem ficar com tarefas eficientes, que podem ser automatizadas. E os homens devem ficar com as tarefas ineficientes, como a ciência, a arte e a pesquisa, que não podem, a princípio, ser automatizadas. Aqui tem muito valor o papel do especialista. O autor dos excelentes livros Sapiens e Homo Deus, Yuval Harari, cunhou o termo Dataismo para caracterizar uma nova era em que os dados são a nova forma de domínio, controle e poder, a partir de algoritmos e big data.

O especialista e o eclético

A profissão do futuro tem a característica de ser uma integração de disciplinas hoje tradicionais, o que valoriza perfis profissionais ecléticos. A super especialização ficará com as áreas que demandam, de fato, tal profissional. Imagino que qualquer profissional de áreas de atuação mais pragmática terá que entender de engenharia, educação, computação, análise de dados e de negócios, e estatística. Terá que saber refletir sobre os problemas da sociedade como um filósofo. Pode parecer um super homem ou mulher maravilha … mas o que o caracteriza é saber onde encontrar o recurso que lhe é necessário e quando. Saber o que existe lá fora para seu uso, para a solução de seus problemas, para apoiar suas tomadas de decisão.

Ainda Daniel Susskind

O autor nos apresenta tendências e padrões que deverão guiar o futuro das profissões: redução de intermediários na prestação de serviços, dada a automatização de processos e emprego massivo de tecnologia, passagem de comportamento reativo para proativo nas relações de trabalho, automação e inovação como padrões estabelecidos, domínio da manipulação e análise de dados, por qualquer profissional, diversificação do trabalho e emprego, novos modelos de negócios afetando o que chamamos hoje de emprego. Ficam aí as dicas para que nos preparemos para esse cenário provável, e que pode afetar nossas atividades profissionais, de trabalho e de carreira.



Se você gostou deste texto, pode repostá-lo, encaminhá-lo e compartilhar seu conteúdo. Apenas cite a fonte, ok?
SOFFNER, R. K. Blog pessoal. Disponível em http://www.r2soffner.com.br/blog/blog.html


Topo da página

Voltar ao Blog